quinta-feira, 29 de novembro de 2012

O Grenal da rinha num dia de fúria - de tempos em tempos - o curioso caso do PITBULL


1. NO TEMPO DO PURO AMADORISMO. Houve um tempo em que dirigentes daqui, e de lá, às vésperas do maior clássico do Estado, lançavam provocações ao adversário, em especial a seus pares rivais e atletas, entendendo que isto poderia promover o espetáculo e auxiliava a vender ingresso. Não se atribua a isto à irresponsabilidade ou à inconsequência. Era o tempo do puro amadorismo. As torcidas iam juntas para os Estádios, quase dividiam o campo, dependendo em que local era, e as implicâncias acabam nas chuteiras dos jogadores, mais ou menos cordiais e elegantes no campo de jogo ao saírem dos ´prédios` os torcedores vociferavam, quando muito, alguns palavrões entre abraços e risos amarelos e cusparadas.

2. NO TEMPO DA MUDANÇA. Mas o mundo foi rodando, nas patas do meu cavalo, cantou o poeta convertido à direita mais adiante. Com o avançar do tempo e com a crescente onda de violência que veio com a modernidade, houve um patrulhamento a dirigentes que assim agiam passaram a ser vigiados e criticados e acusados e apontados ... enfim.... Ficou politicamente incorreto este agir do passado e nas calmarias do nosso Oceano Atlântico ... baixaram a bola. A mídia passou a exercer importante e feroz papel nesta patrulha. Estava condenada à cadeira elétrica ou ao enforcamento provocações do tipo.

3. NO TEMPO DA BRILHANTINA E DOS INCÊNDIOS. Quando os dirigentes passaram a silenciar, contudo .... Quando eles se tocaram de que era amador, entretanto.... Quando eles trocaram os perdigotos por cabelos emplumados, contraditoriamente, já que eles, dirigentes, truncaram suas próprias iniciativas, as provocações passaram a se dar no conhecido leva e trás do ´setor` .... A fim de esquentar o clássico e vender papel, audição e visual, perguntas capciosas eram feitas para lá e para cá, e levadas de um lado para o outro com contornos ou tons mais apimentados do que eram ouvidas as respostas ..... alguns pegaram fogo..... e os incêndios atingiram até banheiros químicos ... melhor esquecer isto não ?

4. EM TEMPOS DE VIOLÊNCIA. Esquentou a sociedade, ferveu o kisuco, a chapa assou o filé, e se tornou um inferno os grandes clássicos. Torcidas escoltadas se deslocando de Estádio para Estádio, carros apedrejados no caminho, metrô depredado na saída. Até expressões que antigamente eram usadas como mera simbologia - treino é treino, guerra é guerra - passaram a ser objeto de mira e condenação. Muito jornalista de primeira meteu o pau na faixa da torcida = jogo é guerra. Veio a BM, veio o MP, veio o Judiciário, termos de acordo foram lavrados, braços da Justiça se instalaram nos Estádios, tudo em nome da Paz. Vamos conter ... apaziguou. Difícil voltar à calmaria das décadas de pura adversidade e não de inimizade, mas havia certo ar de conciliação rondando a áurea maléfica dos exaltados.

5. EM TEMPOS DE RINHA. O GRENAL DA RINHA E O DIA DE FÚRIA. O futebol é dinâmico, disse o dirigente. Gangorra, disse o outro...grenalizou...dizem todos. O fato é que Grêmio e Inter já se enfrentaram diversas vezes com um dos dois estando no fundo do poço e o outro no nirvana. Hoje o Inter está sem Estádio, sem Treinador, sem Preparador, sem time e sem torcida e 19 pontos atrás do Grêmio que é o único que tem a perder neste clássico por vários motivos, mas o principal é a vaga: se o Brasileiro terminasse agora a vaga já estaria no papo, o jogo começa com o Grêmio classificado .... nada é melhor do que isto e este alcance, o que pode acontecer do resto não será melhor do que isto, logo só pode piorar porque o que está bom não fica melhor para este objetivo....ganhando por 10 vem à vaga e ai tanto faz, perdendo por 10 a vaga depende dos Mineiros..... O Grêmio não precisa de mais motivação para o clássico, as demais pulsações ficam por conta do próprio clássico como ser o último do Olímpico, um campeonato à parte, Grenal é Grenal e vice versa como disse o Jardel.....mas nada hoje supera a vaga. O inter não tem mais nada a fazer, nenhuma motivação lhe cercaria para o jogo....mas ai .... Certa vez, experiência pessoal, me caiu às mãos, como profissional, um curioso caso - que repassei por não ser a minha área - de denúncia alusiva a uma RINHA DE PITBULL. A denúncia dizia com os maus tratos a um cachorro. Era um Pitbul. O pobre bicho era treinado para rinha. Enfiavam o coitado num buraco onde passava longo tempo sem comida e sendo provocado longe do alcance do provocador. No dia da luta ele era retirado dali e enfiado na frente do adversário na ARENA canina. O animal estava em dia de fúria. Literalmente ensandecido e ai tudo podia acontecer.
Dale escolhido e fardado para ser M Douglas num Dia de Fúria.

Deu para entender ?

Sem perspectivas para um dos contendores a semana do clássico relembra os tempos do puro amadorismo. Só que, senhores, não está partindo dos dirigentes isso.

Que haja paz !

@cajosias face C JOSIAS MENNA OLIVEIRA


Share |

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Grêmio maior vencedor de Grenais pelo Campeonato Brasileiro





Grêmio maior vencedor de Grenais pelo Campeonato Brasileiro

@gremio100mil


Share |

#PuloDaBarcaFIFA


Imagem: via facebook:Gilmar Moschem

@gremio100mil


Share |

Assim é que se faz para não cair -> versão vermelha
































Fonte: http://blogdopaulinho.wordpress.com/2012/11/23/ex-presidente-do-paissandu-estava-na-reuniao-em-que-fernando-carvalho-ofereceu-dinheiro-para-rebaixamento-do-inter-em-2002/

OITO vezes abraçados ao diabo e Jogando na segunda divisão, a unificação dos títulos deixou a COLORADAMA enlouquecida - acusaram o golpe - aplaudam agora

 

Link da publicação completa: http://gremio100mil.blogspot.com.br/2012/02/oito-vezes-abracados-ao-diabo-e-jogando.html?showComment=1353823060591#c6414846677872301293 

 @gremio100mil Grêmio Nada Pode Ser Maior 

 

 

Share |

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

GrêmioMania Express


Foto e maiores informações : www.gremio.net

@gremio100mil


Share |

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Eleição que atrapalhou o vestiário e o prêmio da cidade




1. ELEIÇÃO E VESTIÁRIO. Sempre afirmei, e repeti que eleição não atrapalha o vestiário. Aliás, até respondi ao @minwer essa indagação. Por 20 ou mais anos como conselheiro e dirigente participei e vivenciei muitas eleições e em todos os lados, situação e ou oposição. A propósito alguns têm que aprender, se não a vida vai ensinar, que este negócio de situação e oposição é cíclico, vezes se é um noutras se é outro. Tarda mais não faltará o dia de quem está na situação será oposição e vice versa. O que há de se aprender, isto sim, é que não estar Governo não significa não ser Gremista, tanto quanto ser Governo não significa ser mais do que quem não é. Mais ainda, há que se aprender que ser dirigente ou não, ser conselheiro ou não, não implica ser mais ou menos Gremista e nem torna o cara mais relevante que qualquer torcedor comum. A honra não é ser conselheiro ou dirigente, a honraria é ser gremista - disse isso ao longo desses 20 anos referidos. Pois bem, em reprise, nunca vivenciei uma única situação sequer em que o pleito e ou a campanha pudesse ter atrapalhado o vestiário - estivesse eu do lado quem estivesse. Exemplo recente foi de André Krieger, Vice em 2008, oposição a Odone, que em pleno clímax eleitoral viajou com o time para fora do Estado, havia um jogo fora, não se engajou na campanha - e ainda sugeriu a Odone que lhe acompanhasse para fugir dos desgastantes enfrentamentos inevitáveis do pleito, mas esse, como se sabe, não gosta de viajar, ele é estilo Belchior, tem medo de avião, e o jogo não era no RJ - e afirma categoricamente que nada penetrou na comissão técnica, nos jogadores, enfim, não houve nenhum incidente com o time ou nenhum prejuízo com o grupo face a disputa. Pois pela primeira vez na minha vida registro  que  INFELIZMENTE  essa   última   eleição   atingiu o vestiário ( Luxa ) e o que é pior, o clube. Crédito do avesso que deve ser debitado a Odone. Já falei sobre o assunto e estou nele de novo porque palpita, fervilha. Odone cometeu um pecado gravíssimo colocando um funcionário, Luxa, no mesmo patamar do clube e ou até acima dele. Talvez diante a falta de mais argumentos para evitar uma morte anunciada contra Koff, Odone, bom político que é, mas egoísta ao extremo, lançou mão de uma arma kamikaze ao Grêmio, circunstancialmente, ao menos, para tentar reverter o impossível. Utilizou-se de Luxa, que vinha em bom momento pré-eleição, com o time, para puxar para si sua figura como cabo eleitoral: se eu ficar ele fica comigo. Bravata, na medida em que todo mundo que se o treinador perdesse todos os jogos seguintes - e por coincidência a campanha do time desandou - Odone seria o primeiro a questioná-lo para 2013, e seria demitido na sucessão de maus resultados, isso é do jogo e histórico. Pois, contando com a passionalidade do torcedor, essa bravata ecoou NEGATIVAMENTE no vestiário, agora se vê isso claramente. Luxa recebeu a faca e o queijo, e o ego - que já não era pequeno, se agigantou. Os dois outros candidatos ficaram reféns do treinador, tanto como o próprio Odone ficaria se renovasse. O Clube ficou refém do Luxa. E Luxa, marqueteiro como poucos, está saborando este queijo devagar. Castigando até o ultimo minuto fazendo valer sua discutível importância, já que nada ganhou ao contrário perdemos o gauchão para o Caxias, a CB para o rebaixado Palmeiras, a SA para o mundialmente conhecido Milionários e o Brasileiro há tempos já não está ao nosso alcance - sem contar que nos enchiqueiramos vários jogos perigando a vaga direta. E vejam os senhores, foi tão maléfica a atitude que influenciou inclusive no final do Brasileiro, onde os últimos jogos decidem a vaga e o último é um GREnal histórico. Pepino amigos, nada orgânico, cuja causa foi à falta de consciência de que a grandeza do Grêmio é muito maior do que a de qualquer dirigente, o que se dirá de um funcionário. Pena! Mas está desvirginada a impenetrabilidade da Política no vestiário. Parabéns Odone. Eu de minha parte já disse, Koff a Presidência começa agora, se Luxa se fresquear mais um pouquinho manda para o espaço, o Grêmio é muito maior do que ele, ele não ganhou nada para nós, há anos, desde 2004, não ganha um título importante, é definitivamente ruim em mata-mata e se quiser arrotar peru comendo manicure, digo, galinha, que o faça no B Rio já que fica sempre no ar esta ameaça de que se não renovar aqui vai para lá. Ou vai ou fica, se quiser ir, vá, só sai de cima e pára de f .... com p.... de pano !
 
2. CIDADÃO DE PORTO ALEGRE. Não por ser o Luigi, juro, mas este título de cidadão de Porto Alegre para mim já caiu em descrédito há anos, não que muitos ganhadores não merecessem, mas o fato é que isso se transformou num FAVOR ENTRE AMIGOS, o Vereador tal tem um amigo que gosta muito (ou que além de gostar lhe garantiu e garante muitos votos) e ai faz um projeto para darem a ele amigo, o título, muitos ganhadores sequer o nome direito sabemos, POIS TEVE UM CARA DA OAS QUE SEQUER CONHECE O NOME DAS RUAS DE PORTO ALEGRE E TAMBÉM GANHOU, uma vergonha. Por essas e outras é que os que verdadeiramente mereceriam o título acabam levando para casa uma ´recordação`  de uma banalidade que ofertam a qualquer um e sem motivo justo. Banalizou. Desculpa Luigi, nesta fruta logo agora. Mera coincidência.

 Foto: globo.com
@cajosias face C JOSIAS MENNA OLIVEIRA


Share |

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Luxemburgo e a família - tem cego para tudo nesta vida


O que me irrita são pessoas que "são cegas no futebol", explico. Luxemburgo fez uma proposta para permanecer no Grêmio; e na semana passada até mesmo a diretoria eleita comentou a imprensa que todas as exigências do treinado foram aceitas (o maior entrave era na questão no tempo de trabalho de 2 anos), mas mesmo assim, foi aceito. Então tudo se encaminhava para um sim do Luxemburgo depois do jogo da Portuguesa, mas ao contrário disso ele veio com um papo que precisa conversar com a família.

Para aí, quando ele fez a proposta para o Grêmio ele não tinha conversado com a família? E agora quer falar com a família? Bom pessoal, como mencionei tem "cego" para tudo, mas é simples, tem outro time interessado nele e ele está pensando, isso não quer dizer que não feche com o Grêmio, mas é muita cara de pau ficar inventando esse papo de família, sendo que, na semana passada ou nas anteriores quando enviou a proposta para direção eleita não precisou pedir a opinião da família.

Uma coisa é certa, a direção eleita precisa agir o mais rápido possível, pois, não podemos ficar nas mãos e nos caprichos de qualquer que seja o técnico, Renato que é Renato não teve privilégios, então quem é Luxemburgo agora para deixar o Grêmio esperando uma semana por sua resposta.

Falou tudo o Carlos Josias no Twitter:



@gremio100mil Grêmio Nada Pode Ser Maior


Share |

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Bastardos Inglórios - O jogo a prioridade e a batata quente


1. BASTARDOS INGLÓRIOS. Realmente não tenho absolutamente nada com o B Rio ou com o SCI que possa  me ocupar em análises e ou investigações de fatos e atos. O que me importa isto sim, é porque há - e realmente há, não me venham dizer que é paranoia porque não é - uma diferença de tratamento e consequências que há anos se observa aqui e ali que ocorre com questões que passam por lá e recebem o impacto diferente e reduzido daquelas que eventualmente passam por aqui. Exemplo? Muitos e muitos.

1.1. O caso das notas fiscais frias, denunciado exaustivamente por um Ex Vice Presidente - e a mim pouco importa se verdadeiro ou não, a questão é por que pende de investigação e esclarecimento dos órgãos públicos ? - ficou o dito pelo não dito quer no ventre do clube (e quanto isto nada a opor, cada instituição age do seu jeito) quer (e aqui é o pior) no que respeita às autoridades. No caso dos cheques Guerreiro, de 300 mil US$ deu IP, MP e processo com sentença condenatória, afora uma intensa e incessante repercussão na mídia. 300 mil dólares são 600 mil reais. 20 meses de Notas Fiscais frias dá o mesmo valor. Para quem não lembra a acusação é de que o clube pagaria 30 mil reais a um Vice por mês e este fornecia Notas Fiscais frias para esquentar os pagamentos. Aqui implica sonegação fiscal - Polícia Federal, MP Federal e J Federal - infração à legislação trabalhista e vamos ficar por aqui porque vai longe. Pois é. Autoridades silentes, mídia calada.

1.2. Contam as boas e más línguas, uma delas de um twiteiro ligado ao I, e que foi amplamente divulgado nas redes sociais, que a ´festinha` no Barranco, tradicional local de encontro de Porto Alegre, em comemoração à eleição do Luigi, teve nudez, álcool em excesso, entre tantas outras ousadas manifestações para um local familiar, o que lá, no lugar, é comentado com direito a encontro de cuecas por debaixo das mesas pelas faxineiras do dia seguinte. Silêncio sobre o assunto na aldeia. Lembro quando Adilson teria supostamente sido flagrado ´alto` num bar da cidade, onde teria tido um suposto atrito com um frequentador, que virou assunto do dia durante semanas, com requintes de crueldade inclusive e páginas de jornais.

1.3. Lembro-me do auê que foi em cima da OAS quando do inicio das obras da ARENA e não vi nada parecido com a AG e o I, ao contrário, a posição foi sempre defensiva da instituição red, e menos ainda qualquer ´corneta` pela retomada de cronograma e atraso das obras. Fosse o Grêmio - e repito, não é paranoia - quem perdesse a Copa das Confederações, haveria esquartejamento de Inconfidência nas praças da cidade.

1.4. Quando recordo episódios do tipo, e não ficam por aqui, me lembro do talento do diretor de bastardos inglórios.

Segue a vida.

2. O JOGO E A PRIORIDADE. O Grêmio, desfalcado, fez um jogo, especialmente o segundo tempo, impecável, diante de um adversário forte e completo. Dedo sim, do treinador. Treinador que, como disse e tenho repetido exaustivamente, não é divino, como alguns pensam, não é infalível, como outros acham - até o contrário, andou errando muito de forma recente - mas que carrega a habilidade de um estrategista raro. O coro da torcida pedindo-lhe que ficasse foi impressionante. Não me recordo - e por favor, se houve estou no puro esquecimento - salvo Renato Portaluppi, nenhuma manifestação assim do torcedor tricolor por um técnico. E estamos diante de um caso diferente, no paradigma traçado Luxa e Renato, na medida em que este era um ídolo anterior, o maior contemporâneo da nossa história, enquanto que Vanderlei é um estrangeiro. O Grêmio vai viver um dilema que confesso reconhecer a imensa dificuldade na escolha. Prioriza a SA ou o Vice do B.  O  Vasco tentou se dedicar a duas competições, não faz muito, e se quebrou. O Flu já fez isto. O Palmeiras tá sendo rebaixado depois de ficar tempos se dedicando a CB. A propósito, no ano que vem muitos vão ter que priorizar mesmo diante tantas competições, já que a LA não impede que o time jogue a CB. E o que é pior, vem por ai um ´fartão` de São Paulo em dois jogos pela SA. E pior ainda, o 2o vai ser lá. A decisão de priorizar um ou outro é extremamente delicada. Mas com todos os riscos assumo um lado e penso que a direção vai nesta mesma linha (até porque Odone não pode se despedir sem um título sequer, pois nada ganhou em 2008, 2011 e agora ... ). Precisamos de um título e a vaga da LA já está assegurada, ainda que nos sobre a pré. E diante desta necessidade eu arriscaria buscar a SA. Não tem outra.

3. A BATATA QUENTE. Em vencendo a SA e correndo o risco de ter que disputar a pré, 2013 começa empepinado. Tem o Gauchão (essa naba que tem que terminar .... ou mudar .... ), a Pré, depois vem a CB, ali ali a LA e de cara o B. E ai ? Bem e aí que para enfrentar tudo isto, ainda mais com uma pré temporada curta, e com um time que está perdendo jogadores sem contar que precisa de alguns e bons reforços entre eles uns 3  ou  4 para entrarem correndo, não vai ser moleza. Vai ser um ano bom, pela ARENA, mas extremamente difícil pelas circunstâncias. Uma verdadeira batata quente. Bem, Koff quis voltar não é? Pois então que asse essa batata. A cobrança já começou, e num caldeirão em que as eleições no clube cada uma que passa leva mais tempo para terminar, vai ter pressão...aliás, já tem.

Uma coisa é certa. Com tantas competições se acabar o jejum de títulos ..... chamem a Polícia !
saudações tricolores
@cajosias face C JOSIAS MENNA OLIVEIRA



Share |

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Fênix tricolor, a torcida e o Monumental


FÊNIX: A fênix (em grego ϕοῖνιξ) é um pássaro da mitologia grega que, quando morria, entrava em autocombustão e, passado algum tempo, renascia das próprias cinzas. Outra característica da fênix é sua força que a faz transportar em voo cargas muito pesadas, havendo lendas nas quais chega a carregar elefantes. Podendo se transformar em uma ave de fogo.

E assim é o André Lima, que quando sai de sua condição “cone” reviveu, renasceu das cinzas e tem feito o que vinha fazendo antes do Jonas ir embora. Eu tenho peito pra falar que eu temia ultimamente sua entrada no time, pois,  já não era mais o mesmo, mas tenho mais peito para admitir que ele consiga todas às vezes me calar, e eu no fundo sei que ele merece afinal qual o motivo teria ele de ainda jogar com essa raça e amor pela camiseta, após a Diretoria ter tentado sua venda para outro time? Portanto, André Lima: rendo-me ao seu carinho pelo GRÊMIO e obrigada por ter me feito chorar ontem.

Chorei, chorei quando parei e olhei todo o Monumental cantando na hora do gol, torcida que me arrepia, que arrepiou o Luxa ao pedir sua permanência e a do Zé Roberto.

Marcelo Moreno retribuiu com seu belo GOL ao GRÊMIO por conseguir o efeito suspensivo para esta partida e nós te agradecemos Marcelo Moreno por nos dar essa alegria. Pará, não para não, não para, corre muito e cruza, graças ao seu cruzamento saiu o gol do Moreno.
Foi um grande jogo, um dos últimos do MONUMENTAL!

Parabéns ao André Lima (Fênix Tricolor) e aos GREMISTAS que estiveram lá!

Adriana Hrymalak LLantada @DRIGREMISTA


Share |